Os Segredos da Meditação

Os Segredos da Meditação

Quando a superfície de um lago está bem tranquila, podemos enxergar nitidamente o que existe lá no fundo. Mas basta uma leve rajada de vento para que se formem pequenas ondas, dificultando um pouco a visão. Se jogarmos uma pedrinha na água, as ondas se tornarão mais agitadas, quase escondendo o que existe no fundo. E se agitarmos a água com uma vara, não seguiremos mais enxergar o fundo do lago.

Assim é a nossa mente, um lago que guarda muitos tesouros debaixo das suas águas. Tesouros que a maioria das pessoas nem sequer suspeita que existam. Mas eles estão ali, e podem ser percebidos por aqueles que conseguem serenar as águas do lago mental. E quando as águas ficam bem tranquilas, a gente começa a descobrir os tesouros e usufruir de todas as coisas boas que eles podem nos proporcionar.

Vivemos num mundo carregado de pressões e conflitos. Por isto, a todo momento nosso lago-mental é agitado pelos pensamentos de inveja, de ciúmes, egoísmo, descrença, medo, ódio, vingança e outras vibrações altamente negativas. Essas vibrações provocam ondas que não nos permitem enxergar os tesouros no fundo do lago. Mas nós podemos neutralizar as vibrações paciência, tolerância, compreensão, perdão e amor. E este equilíbrio se dá através da meditação.

Meditação pode aparecer também na forma de pequenos textos, cujo conteúdo faz com que você reflita, pense a respeito para, se for o caso ter uma resposta, encontrar uma saída, sanar um mal que lhe aflija, enfim encontrar o equilíbrio tão procurando atualmente. O critério para a escolha de uma meditação deve ser o seu prazer. Se algum tipo de meditação provocar algum desconforto para você, observe-a melhor. Tente fazê-la novamente, e se este desconforto persistir, opte por outro tipo que lhe seja mais agradável. As técnicas de meditação são apenas artifícios, um caminho para driblar a mente a fim de atingir o estado meditativo.

Respiração

Respirar é tão importante que é a primeira atitude que tomamos ao vir ao mundo e é também a última. Ao respirarmos, normalmente não usamos a capacidade total de nossos pulmões. Os praticantes de Yoga fazem diversos exercícios de respiração que ampliam essa capacidade. Trata-se de um ato tão simples que na maioria das vezes nem nos damos conta de sua importância. A respiração alimenta nossos sentidos, nossas funções orgânicas, células etc. É ela que nos mantém vivos e também está associada aos nossos sentidos, emoções e comportamentos. Também é um indicador de nosso estado mental.

Preste atenção!

Preste atenção à sua respiração quando você está nervoso. O que acontece com ela? Analise também sua respiração quando você está calmo e sereno, numa situação agradável, fazendo o que gosta. Ela não fica mais profunda, mais suave? Esse são uns dos pontos interessantes sobre Os Segredos da Meditação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *